O que é Escoliose?

A escoliose faz com que a coluna vertebral curva para um lado. Pode afetar qualquer parte da coluna vertebral, mas as regiões mais comuns estão no nível do tórax e da parte inferior das costas.

Muitas vezes aparece em crianças. Na maioria dos casos, o tratamento da escoliose não é necessário, pois a curva se corrige com o crescimento. No entanto, com base no grau de curvatura e na idade da criança, muitas vezes é recomendada uma combinação de reforço e fisioterapia.

Um número muito pequeno de pacientes com escoliose pode requerer cirurgia. As complicações da escoliose incluem dor crônica, deficiências respiratórias e diminuição da capacidade de exercício.

Fatos rápidos Sobre Escoliose

Aqui estão alguns pontos-chave sobre a escoliose. Mais detalhes estão no artigo principal.
Muitas vezes, as causas da escoliose não são conhecidas.

Algumas pessoas com escoliose precisam de cirurgia.

Os sintomas em lactentes incluem uma protuberância de um lado do tórax. É mais comum em mulheres do que em homens.

O que é Escoliose?

Uma pessoa com escoliose terá uma curva em forma de C ou S na coluna vertebral.

Pode aparecer em qualquer idade, mas muitas vezes apresenta desde a idade de 10 a 12 anos, ou durante os adolescentes, mas os bebês podem causar sintomas.

As razões para a mudança de forma geralmente não são conhecidas, mas alguns casos estão ligados a paralisia cerebral, distrofia muscular, espinha bífida ou defeito congênito.

Uma curva estrutural é permanente, e pode ser devido a outra condição. Uma curva não estrutural é temporária e é provável que apareça com o tempo.

Como é Feito o Tratamento da Escoliose?

A maioria das crianças com escoliose tem uma curva leve que não precisa de tratamento.

O médico recomendará o seguimento a cada 4 a 6 meses para monitorar a curva da coluna vertebral na clínica e periodicamente com raios-X.

Os seguintes fatores serão considerados pelo médico quando decidir sobre as opções de tratamento:
Sexo: as mulheres são mais propensas do que os homens a ter escoliose que gradualmente piora.

Gravidade da curva: quanto maior a curva, maior o risco de piorar ao longo do tempo. As curvas em forma de S, também chamadas de “curvas duplas”, tendem a piorar ao longo do tempo. As curvas em forma de C têm menor probabilidade de piorar.

Posição da curva: uma curva que está localizada na parte central da coluna vertebral é mais provável de piorar em comparação com curvas na parte inferior ou superior.

Maturidade óssea: o risco de piora é menor se os ossos da pessoa pararam de crescer. As aparas são mais eficazes enquanto os ossos ainda estão crescendo.

Suspensórios: Se o paciente tiver escoliose moderada e os ossos ainda estão crescendo, o médico pode recomendar uma armadura. Isso evitará uma maior curvatura, mas não o curará ou o reverterá. As chaves geralmente são usadas o tempo todo, mesmo à noite. Quanto mais horas por dia o paciente usa a cinta, mais eficaz ela tende a ser.

A armadura normalmente não restringe o que a criança pode fazer. Se a criança deseja participar da atividade física, as chaves podem ser retiradas.

Quando os ossos param de crescer, as chaves não são mais utilizadas. Existem dois tipos de aparelhos:

Orose toracolumbosacral (TLSO) – o TLSO é feito de plástico e projetado para se encaixar perfeitamente em torno das curvas do corpo. Normalmente não é visível sob a roupa.

Armadura de Milwaukee – esta é uma cinta de torso completo e tem um anel de pescoço com repousos para o queixo e a parte de trás da cabeça. Este tipo de armadura é usado somente quando o TLSO não é possível ou não é efetivo.

Um estudo descobriu que, quando o estofamento é usado em crianças de 10 a 15 anos com escoliose idiopática, reduz o risco de piorar a condição ou precisar de cirurgia.

Quais são os Sintomas da Escoliose?

Muitas vezes, as roupas de pacientes com escoliose não se encaixam corretamente.

A forma mais comum de escoliose aparece em adolescentes. É conhecida como escoliose idiopática adolescente. Pode afetar crianças de até 10 anos.

Idiopática significa que não existe uma causa conhecida. Os sintomas podem incluir:

A cabeça está ligeiramente fora do centro
A caixa torácica não é simétrica – as costelas podem estar em diferentes alturas
Um quadril é mais proeminente que o outro
As roupas não se encaixam corretamente
Um ombro ou ombreira é mais alto que o outro
O indivíduo pode se inclinar para um lado
Comprimentos de perna irregulares

Sintomas da Escoliose em Lactentes

Em infantes, os sintomas da escoliose podem incluir:

Uma protuberância de um lado do baú

O bebê pode sempre ficar curvado para um lado

Em casos mais graves, problemas com o coração e os pulmões, levando a falta de ar e dor no peito

Alguns tipos de escoliose podem causar dor nas costas, mas geralmente não é muito doloroso. Dor nas costas não é incomum em adultos mais velhos com escoliose longa.

Se a escoliose é deixada sem tratamento, os problemas podem surgir mais tarde na vida, tais como insuficiência cardíaca e função pulmonar.

Como é Feita a Cirurgia da Escoliose?

Em casos graves, a escoliose pode progredir ao longo do tempo. Nestes casos, o médico pode recomendar a fusão da coluna vertebral. Esta cirurgia reduz a curva da coluna vertebral e impede que ela piore.

A cirurgia de escoliose envolve o seguinte:

Enxertos ósseos – duas ou mais vértebras (ossos da coluna vertebral) estão conectados com novos enxertos ósseos. Às vezes, barras de metal, ganchos, parafusos ou fios são usados ​​para manter uma parte da coluna reta enquanto o osso cura.

Cuidados intensivos – a operação dura 4-8 horas. Após a cirurgia, a criança é transferida para UTI (unidade de terapia intensiva), onde receberão fluido intravenoso e alívio da dor. Na maioria dos casos, a criança deixará a UTI dentro de 24 horas, mas pode ter que permanecer no hospital por uma semana a 10 dias.

Recuperação – as crianças geralmente podem voltar para a escola após 4-6 semanas, e podem participar em esportes aproximadamente 1 ano após a cirurgia. Em alguns casos, uma cinta traseira é necessária para suportar a coluna por cerca de 6 meses.

O paciente precisará voltar ao hospital a cada 6 meses para que as hastes se alonguem – geralmente é um procedimento ambulatorial, então o paciente não passa a noite. As hastes serão removidas cirurgicamente quando a coluna vertebral crescer.

Um médico só recomendará a fusão da coluna vertebral se os benefícios forem considerados superiores aos riscos. Os riscos incluem:

Deslocamento da haste: uma haste pode se mover da posição correta, fazendo necessária mais cirurgia.

Pseudartrose: um dos ossos usados ​​para fundir a espinha no lugar não se encaixa corretamente, levando a um desconforto leve e a uma correção mal sucedida da coluna vertebral. Pode ser necessária uma cirurgia adicional.
Infecção: se isso ocorrer, ele geralmente será tratado com antibióticos.

Dano nervoso: danos nos nervos da coluna vertebral, levando a sintomas leves, como entorpecimento em uma ou ambas as pernas, a problemas graves, como a paraplegia, perda de toda a função inferior do corpo.

Um neurocirurgião pode estar presente durante a cirurgia para escoliose.

Quais são as Causas da Escoliose?

A escoliose às vezes é causada por condições neuromusculares. Abaixo estão algumas das possíveis causas de escoliose:

Condições neuromusculares: elas afetam os nervos e músculos e incluem paralisia cerebral, poliomielite e distrofia muscular.

Escoliose congênita (presente no nascimento) Isso é raro e ocorre porque os ossos da coluna vertebral se desenvolveram anormalmente quando o feto estava crescendo dentro da mãe.

Genes específicos: pelo menos um gene é pensado para estar envolvido na escoliose.

Comprimento da perna: se uma perna for maior do que a outra, o indivíduo pode desenvolver escoliose.

Escoliose sindrômica: a escoliose pode se desenvolver como parte de outra doença, incluindo neurofibromatose e síndrome de Marfan.

Osteoporose: isso pode causar escoliose secundária por degeneração óssea.

Outras causas: má postura, transportando mochilas ou carrinhos, distúrbios do tecido conjuntivo e algumas lesões.

Quais são os Fatores de Risco da Escoliose?

Os fatores de risco para escoliose incluem:

Idade: sinais e sintomas geralmente começam durante um surto de crescimento logo antes da puberdade.

Gênero: as mulheres têm um risco maior.

Genética: pessoas com escoliose podem ter um parente próximo com a condição.

Quais são os Tipos de Escoliose?

A Associação de Escoliose do Reino Unido descreve cinco principais tipos de escoliose:

Escoliose congênita, quando a coluna vertebral não se forma corretamente antes do nascimento

A escoliose de início precoce aparece entre o nascimento e 10 anos

Escoliose idiopática adolescente, que ocorre à medida que a criança cresce, levando a uma curva e torção da coluna vertebral.

A escoliose degenerativa pode afetar os adultos devido ao desgaste do sistema esquelético, que já tenham escoliose ou não

A escoliose neuromuscular decorre de um problema com os músculos ou sistema nervoso

A cifose de Scheuermann, onde as seções dianteiras das vértebras crescem mais lentamente do que as secções traseiras, tornando-as menores

A escoliose sindrômica está ligada a uma série de síndromes, incluindo síndrome de Marfan e trissomia 21

Quando a escoliose é vista no plano frontal em um indivíduo comum, a coluna deverá apresentar um padrão linear. Quando vista no plano lateral, é possível observar duas curvas naturais: para trás, na área do tórax (Cifose), e para frente na área da lombar (lordose).

Como Reconhecer Uma Escoliose?

Um médico irá realizar um exame físico da coluna vertebral, costelas, quadris e ombros.

Com a ajuda de uma ferramenta chamada inclinômetro, ou scoliometer, o médico pode medir o grau de escoliose.

O paciente pode ser encaminhado para um especialista em ortopedia.

As varreduras de imagens como raios-x, tomografias e ressonâncias magnéticas podem ajudar a avaliar a forma, direção, localização e ângulo da curva.

Tratamentos e Exercícios para Escoliose

  • Acupuntura: apesar de não apresentar comprovações científicas de que é um método efetivo para a escoliose, a acupuntura é utilizada no tratamento da escoliose
  • Quiropraxia: a quiropraxia é mais efetiva no tratamento de dores agudas, que tem pouco tempo de evolução.
  • Fisioterapia: Não demonstrou cientificamente ajudar pacientes de escoliose; o médico é quem avaliará se o paciente pode fazer a fisioterapia.
  • Ioga: fortalece os músculos por meio dos exercícios realizados com a prática da ioga.
  • Massagem: pode ajudar alguns pacientes que se queixam de dores nas costas. O médico especialista é quem poderá fazer o encaminhamento correto.
  • Pilates: Assim como a ioga, esses exercícios fortalecerão a musculatura, contudo,  não é indicado para os pacientes com fortes dores.

Tudo Sobre Escoliose: Lombar, Cura, Cirurgia, Tratamento e Exercícios
5 (100%) 1 voto


Comente