Quando alguém congela, fica sem reação, parado por alguns instantes, é comum dizermos que tal pessoa ficou catatônica, entretanto existe muito mais por de trás da catatonia do que o simples vocabulário popular presume.

A catatonia é um distúrbio psicomotor. Afeta a capacidade de uma pessoa se mover de uma maneira normal. As pessoas afetadas podem experimentar vários sintomas. O sintoma mais comum é o estupor, o que significa que o paciente não pode se mover, falar ou responder a estímulos. No entanto, algumas pessoas que sofrem de catatonia podem apresentar movimentos excessivos e comportamentos violentos.

A catatonia pode durar de apenas algumas horas até dez dias. Pode voltar a ocorrer frequentemente durante semanas ou anos após o episódio inicial. 

Se a catatonia é um sintoma de uma causa identificável, ela é designada como extrínseca. Se nenhuma causa puder ser determinada, ela é considerada intrínseca.

Tipos de Catatonia

Os profissionais de saúde mental classificam a catatonia em três categorias: retardada, maligna e excitada.

A catatonia retardada é a forma catatônica mais comum (Coffey, 2013). Isso causa movimento lento. Um paciente pode olhar para o espaço e muitas vezes não fala.

Pacientes com catatonia maligna são delirantes. Eles geralmente têm febre. Eles também podem ter um batimento cardíaco acelerado e pressão alta.  

Pacientes com catatonia excitada parecem “acelerados”. Eles estão inquietos e agitados. Eles são por vezes agressivos.

O que causa a catatonia?

Causas comuns de catatonia incluem transtornos mentais, transtorno de estresse pós-traumático e doença de Parkinson.

Catatonia é um efeito colateral raramente visto de alguns medicamentos usados ​​para tratar doenças mentais. (Se você suspeitar que um medicamento está causando catatonia, procure atendimento médico imediato. Isso é considerado uma emergência médica.)

A retirada de alguns medicamentos, como a clozapina, pode causar catatonia.

Estudos de imagem revelaram que algumas pessoas com catatonia crônica podem ter anormalidades cerebrais. Isto é especialmente verdadeiro para os lobos frontais ou tálamo (Rajagopal, 2007). 

Outra teoria é que ter excesso ou poucos neurotransmissores causa catatonia. Os neurotransmissores são substâncias químicas cerebrais que transmitem mensagens de um neurônio para o outro. Uma teoria é que uma redução súbita de dopamina, um neurotransmissor, causa a catatonia. Outra teoria é que uma redução no ácido gama-aminobutírico (GABA) leva à condição.

Saúde

Quais são os fatores de risco para catatonia?

As mulheres têm um risco maior de desenvolver catatonia. O risco aumenta com a idade. 

Estima-se que 10% dos pacientes internados psiquiátricos com doença aguda vivenciam a catatonia (Taylor e Fink, 2003). Pacientes com esquizofrenia são mais propensos a ter sintomas de catatonia do que pacientes com transtornos de humor (Rajagopal, 2007).

Os psiquiatras costumavam classificar a catatonia como apenas um sintoma de esquizofrenia. Os psiquiatras agora classificam a catatonia como seu próprio distúrbio. 

Mulheres com depressão pós-parto podem experimentar catatonia.

Outros fatores de risco são o uso de cocaína, baixa concentração de sal no sangue e o uso de medicamentos como a ciprofloxacina.

Quais são os sintomas da catatonia?

Catatonia tem muitos sintomas. O sintoma mais comum é o estupor, em que uma pessoa não pode se mover ou falar. Esses pacientes parecem estar olhando para o espaço.

Uma pessoa com catatonia também pode mostrar postura. É quando uma pessoa permanece na mesma posição por um longo período. Tais pacientes podem permanecer nessa posição mesmo quando se movimentam. Isso é chamado de flexibilidade cerosa.

Os pacientes catatônicos geralmente não comem nem bebem. Isso pode causar desnutrição e desidratação.

Os pacientes com catatonia também podem ter ecolalia. É quando uma pessoa responde à conversa apenas repetindo o que ouviu.

Os sintomas da catatonia excitada incluem movimentos excessivos e incomuns. Estes incluem agitação, frenesi, inquietação e movimentos excessivos ou sem propósito.

A catatonia maligna causa os sintomas mais graves. Eles incluem delírio, febre, rigidez e sudorese. Sinais vitais como pressão arterial, respiração e frequência cardíaca podem flutuar. Esses sintomas exigem tratamento imediato.

Os sintomas de catatonia refletem outras condições, incluindo:

  • Psicose aguda
  • Encefalite
  • Síndrome neuroléptica maligna (SMN)
  • Estado epiléptico não convulsivo

Antes que eles possam diagnosticar a catatonia, os médicos devem descartar essas condições. Os pacientes devem apresentar pelo menos dois sintomas principais de catatonia por 24 horas antes que um médico possa diagnosticar a catatonia.

Como é diagnosticada a catatonia?

Nenhum teste definitivo para catatonia existe. Para diagnosticar a catatonia, um exame físico e um teste devem primeiro descartar outras condições.

A Escala de Avaliação Bush-Francis Catatonia (BFCRS) é um teste frequentemente usado para diagnosticar a catatonia. Esta escala tem 23 itens pontuados de 0 a 3. Uma classificação “0” significa que o sintoma está ausente. Uma classificação “3” significa que o sintoma está presente.

Pacientes com altas classificações na SFBMS geralmente respondem bem aos tratamentos com benzodiazepenos (Carroll, et al., 2008).

Os exames de sangue podem ajudar a descartar desequilíbrios eletrolíticos. Estes podem causar mudanças na função mental. Embolia pulmonar ou coágulos nos pulmões podem levar a sintomas de catatonia. Um teste de sangue com fibrina D-dímero pode ajudar a diagnosticar a catatonia. Se os resultados do teste forem de 500 mg / mL, a catatonia é provável ( Brasic, 2013 ). 

A tomografia computadorizada (TC) ou a ressonância magnética (RM) permitem que os médicos visualizem o cérebro. Isso ajuda a descartar um tumor cerebral ou inchaço.

Como é tratada a catatonia?

Medicamentos

Medicamentos são geralmente a primeira abordagem para o tratamento da catatonia. Eles incluem:

  • Amobarbital
  • Benzodiazepínicos (como clonazepam, lorazepam e midazolam)
  • Bromocriptina
  • Carbamazepina
  • Carbonato de lítio
  • Relaxantes musculares
  • Reserpine
  • Hormona da tiróide
  • Antidepressivos tricíclicos
  • Zolpidem

Os benzodiazepínicos são geralmente os primeiros medicamentos prescritos. Estes medicamentos aumentam o GABA no cérebro. Isso apoia a teoria de que o GABA reduzido leva à catatonia.

Após cinco dias, se não houver resposta à medicação ou se os sintomas piorarem, o médico pode recomendar outros tratamentos. Estes incluem o tratamento eletroconvulsivo (ECT). 

Saúde Íntima feminina

Terapias alternativas

A eletroconvulsoterapia (ECT) é um tratamento comum para a catatonia. Esta terapia é realizada em um hospital sob supervisão médica. É um procedimento indolor.

Quando um paciente é sedado, uma máquina especial libera um choque elétrico no cérebro. Isso induz uma convulsão no cérebro por um período de um a dois minutos.

A convulsão altera o fluxo de neurotransmissores no cérebro. Isso pode melhorar os sintomas da catatonia.

O que é Catatonia? Conheça os Sintomas e Tratamentos
5 (100%) 1 voto


Comente