A onicomicose, ou micose nas unhas, é um distúrbio cada vez mais comum, responsável por 20% de todas as doenças das unhas. Ocorre quase exclusivamente em adultos e uma em cada duas pessoas com mais de 70 anos sofre com isso. O risco, portanto, aumenta com a idade e com a doença ungueal subjacente.

Onicomicose é uma infecção das unhas causada por um fungo e é comumente referida como infecção fúngica nas unhas. Os sintomas da infecção variam dependendo do tipo de fungo envolvido, mas unhas espessadas e descoloração amarela (como na foto acima) são comuns.


Aproximadamente metade de todas as condições das unhas é resultado de fungos, tornando a onicomicose a doença mais comum das unhas. Onicomicose pode afetar as unhas das mãos e dos pés; no entanto, as unhas dos pés são mais propensas a estar envolvidas. As razões para isso não são totalmente claras, mas o crescimento mais lento das unhas dos pés, infecção prévia por fungos nos pés (como o pé de atleta) pode tornar mais fácil para os fungos se estabelecerem e causar uma infecção nas unhas dos pés. Além disso, os fungos geralmente se desenvolvem em condições quentes e úmidas.

Os sapatos fechados e de plástico são, portanto, ambientes ideais para esses organismos, facilitando a infecção dos pés e das unhas dos pés. Andar descalço nos vestiários também aumenta o risco de infecção, como este ambiente quente e úmido é suscetível à contaminação fúngica. As unhas também podem ser infectadas, muitas vezes por outro tipo de fungo. Muitas vezes, esses tipos de infecções ocorrem em pessoas cujas mãos foram expostas à água por longos períodos de tempo, por exemplo, máquinas de lavar louça em restaurantes ou faxineiras domésticas. Usar luvas duplas – algodão por dentro e látex ou vinil por fora – quando em contato com a água ajuda a evitar o desenvolvimento desses tipos de infecções.

Como o Diagnóstico da Onicomicose é Obtido?

O profissional de saúde provavelmente iniciará um exame simplesmente olhando para as unhas. Diferentes tipos de onicomicose têm características que sugerem infecção fúngica nas unhas, e estes podem ser usados ​​para diferenciar onicomicose de outros tipos de infecção. Existem testes laboratoriais adicionais que são usados ​​para confirmar o diagnóstico. Olhar para seções da unha sob um microscópio às vezes pode ser usado para visualizar diretamente os fungos que causam a doença. Além disso, se os fungos podem ser cultivados em laboratório a partir de amostras e raspados de unhas, isso é uma evidência de que os fungos são responsáveis ​​pela doença. Muitas vezes, um profissional de saúde fará um diagnóstico preliminar baseado no exame das unhas e confirma isso em laboratório, usando técnicas de microscopia e cultura.

Quais são as Causas da Onicomicose? 

Nem todo mundo tem o mesmo risco de desenvolver infecções por fungos nas unhas. Estudos demonstraram que existem vários fatores que aumentam o risco de infecções comuns por onicomicose:

Idade – O risco de desenvolver onicomicose aumenta com a idade. Isso pode acontecer porque as pessoas mais velhas têm unhas de crescimento mais lento, têm dificuldades em cuidar dos pés e das unhas dos pés e têm maior probabilidade de apresentar outros fatores de risco para a doença (má circulação sanguínea periférica, diabetes, enfraquecimento do estado imunológico).

Má circulação sanguínea periférica – Pessoas com má circulação sanguínea periférica são mais suscetíveis a infecções fúngicas.

Diabetes – O diabetes tem vários efeitos sobre o sistema circulatório, e foi mostrado para aumentar o risco de desenvolver onicomicose.

Psoríase – A onicomicose é mais comum em pessoas com psoríase do que aquelas que não têm.

Esportes – Alguns esportes podem aumentar a exposição a fungos patogênicos e, portanto, aumentar o risco de infecção fúngica. As pessoas que nadam, por exemplo, são mais propensas a ter onicomicose do que aquelas que não o fazem.

Imunodeficiência – Tal como acontece com outros tipos de infecção, um sistema imunitário enfraquecido aumenta o risco de desenvolver onicomicose.

Fatores genéticos – Algumas pessoas parecem ser naturalmente mais suscetíveis do que outras a infecções fúngicas como a onicomicose. Os genes exatos envolvidos não foram identificados, mas algumas pesquisas sugerem que você tem mais chances de desenvolver infecções por fungos nas unhas se tiver histórico familiar da doença.

Exercicios

Quais são os Fatores de Risco da Onicomicose?

Casos de onicomicose da unha têm um conjunto ligeiramente diferente de fatores de risco, incluindo:

  • Contato prolongado com a água
  • Desgaste prolongado de luvas plásticas
  • Manipulação frequente ou prolongada de produtos doces (por exemplo, doces, pastelaria)
  • Uso excessivo de detergentes
  • Fumar
  • Microtraumas repetidos nas unhas (por exemplo, através de jardinagem)
  • Profissão exposta (cabeleireiro, manicure, podologista)
  • Outros locais de infecção fúngica (por exemplo, transferência de infecção das unhas dos pés)

Quais são as Opções de Tratamentos para Onicomicose?

Abaixo você encontrará algumas informações sobre tratamentos disponíveis para onicomicose, bem como considerações e dicas práticas para pacientes afetados pela doença. Fale com o seu profissional de saúde para quem poderá aconselhar o tratamento adequado para você.

Início do tratamento para onicomicose (infecções fúngicas das unhas)

A onicomicose pode ser tratada removendo-se tanto a unha doente quanto possível. Existem vários tratamentos diferentes para infecções fúngicas nas unhas. Os diferentes tipos de tratamento incluem:

  • Mecânico
  • Tópico
  • Sistêmico

O tratamento pode incluir uma das opções acima ou uma combinação, dependendo da gravidade da onicomicose. O seu profissional de saúde poderá aconselhá-lo sobre o tratamento mais adequado para si. Cada um destes tratamentos tem vantagens e desvantagens para o tratamento da onicomicose, dependendo do tipo e da gravidade da sua doença.

Tratamento a Longo Prazo

Tenha em mente que o tratamento para onicomicose (infecções por fungos nas unhas) normalmente leva muito tempo para ter um efeito. Tratamentos tópicos aplicados diretamente nas unhas infectadas geralmente são prescritos por várias semanas a meses. Os tratamentos sistêmicos podem ser prescritos por mais tempo, geralmente de meio ano a um ano no total. Algumas pessoas podem ficar frustradas com as mudanças lentas ao iniciar a terapia, mas lembre-se de que isso é normal para o tratamento com onicomicose, e que manter o tratamento prescrito melhora drasticamente suas chances de eliminar a infecção.

Tipos de Tratamento para Onicomicose

Como descrito acima, a onicomicose pode ser tratada removendo tanto quanto possível a unha doente. Existem vários tratamentos diferentes para infecções fúngicas nas unhas. Os diferentes tipos de tratamento incluem:

  • Mecânico
  • Tópico
  • Sistêmico

O tratamento pode incluir uma das opções acima ou uma combinação, dependendo da gravidade da onicomicose. O seu profissional de saúde poderá aconselhá-lo sobre o tratamento mais adequado para si. 

A tabela abaixo descreve as diferentes opções de tratamento normalmente disponíveis:

Mecânico – O tratamento mecânico normalmente envolve o preenchimento e o corte de unhas infectadas. No entanto, a remoção parcial ou completa da unha também pode ser usada em casos mais graves.

Tratamento tópico – O tratamento tópico envolve soluções de agentes antifúngicos que são aplicados diretamente nas unhas com o objetivo de matar o fungo e impedi-lo de se espalhar para partes saudáveis ​​da unha.

Tratamento sistêmico – O tratamento sistêmico refere-se a cápsulas ou comprimidos que são engolidos. Esses tratamentos também contêm agentes antifúngicos, mas esses agentes são absorvidos pelo organismo e viajam pelo sangue até as unhas, onde ficam mais concentrados.

Como Evitar Onicomicose?

Além do tratamento, existem várias medidas de estilo de vida que podem ajudar na onicomicose. A maioria deles envolve maneiras de limitar a exposição aos fungos patogênicos que causam a doença. Isso pode ajudar a prevenir que a doença volte.

Usar sandálias em chuveiros públicos ou chinelos em quartos de hotel em vez de pés descalços pode ajudar a limitar sua exposição a fungos patogênicos e reduzir nossas chances de desenvolver onicomicose.

Os fungos crescem preferencialmente em ambientes quentes e úmidos, e os sapatos podem se encaixar nesses dois critérios. Sapatos de descanso (usando um par diferente de sapatos) periodicamente podem ajudar a reduzir as chances de os fungos crescerem dentro de seus calçados, onde eles têm acesso fácil às unhas dos pés e podem causar infecções. Sapatos também podem ser descontaminados com tratamentos antifúngicos. Também é importante trocar as meias todos os dias.

Aparar as unhas ao invés de arredondá-las pode ajudar a prevenir infecções fúngicas, como a onicomicose. Não use o mesmo aparador de unhas ou lixa em unhas saudáveis ​​e infectadas.

O pé de atleta, também chamado de tinea pedis, é uma infecção fúngica da pele em um ou nos dois pés. Às vezes ocorre com onicomicose. O tratamento rápido do pé de atleta, se e quando ele aparecer, pode ajudar a evitar que a infecção se espalhe para as unhas dos pés e reduzir as chances de desenvolver onicomicose. Secar os pés e o espaço entre os dedos pode ajudar a prevenir a recorrência. 

Comprar novos sapatos depois de curar os sintomas de onicomicose ajudará a prevenir repetidas recorrências de sapatos contaminados. No caso de onicomicose da unha, secar regularmente as mãos e usar um par de luvas duplas (algodão, látex ou vinil) ajudará a proteger as unhas da infecção.

Onicomicose (Micose nas Unhas): Causas e Tratamentos
5 (100%) 1 voto

Comente