O que é Sífilis?

A sífilis é uma doença bacteriana crônica que é contraída principalmente por infecção durante a relação sexual, mas também congenitamente pela infecção de um feto em desenvolvimento. É causada pela bactéria Treponema pallidum.

 A sífilis é uma infecção comum e perigosa que se espalha de pessoa para pessoa através do contato sexual. É uma infecção que é transmitida por contato direto com uma ferida sifilítica através da pele e membranas mucosas, como a vagina, ânus, reto, lábios e boca, mais comumente durante a atividade sexual oral, anal ou vaginal. Em raras ocasiões, a sífilis se espalha durante o beijo.

Quais são as Causas da Sífilis?

A sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum. Ela se espalha da mãe para o bebê durante a gravidez, e é referido como sífilis congênita. 

Além de se espalhar durante a atividade sexual, a sífilis pode ser transmitida da mãe para o bebê durante a gravidez, conhecida como sífilis congênita.

A sífilis durante a gravidez pode resultar em um natimorto ou em um bebê com baixo peso ao nascer e, se não for tratada, um bebê com sífilis pode desenvolver catarata, surdez ou convulsões. Em alguns casos, os bebês podem morrer da doença.

Estágios da infecção da sífilis 

Os quatro estágios da sífilis são:

  • Primário
  • Secundário
  • Latente
  • Terciário

Estágio primário / Sífilis precoce ou primária:
Durante o estágio primário, uma ferida (cancro) que geralmente é indolor se desenvolve no local onde a bactéria entrou no corpo. Isso geralmente ocorre dentro de 3 semanas de exposição, mas pode variar de 10 a 90 dias.

Uma pessoa é altamente contagiosa durante o estágio primário. Nos homens, um cancro muitas vezes aparece na área genital, geralmente (mas nem sempre) no pênis. Essas feridas são geralmente indolores. Nas mulheres, os cânceres podem se desenvolver nos genitais externos ou na parte interna da vagina.

Um câncer pode passar despercebido se ocorrer dentro da vagina ou na abertura do útero (colo do útero), porque as feridas geralmente são indolores e não são facilmente visíveis. Inchaço dos gânglios linfáticos pode ocorrer perto da área do cancro.

Um câncer também pode ocorrer em uma área do corpo que não os órgãos genitais. O câncer dura 3 a 6 semanas, cura sem tratamento e pode deixar uma cicatriz fina. Mas, embora o cancro tenha sarado, a sífilis ainda está presente e a pessoa ainda pode transmitir a infecção para outras pessoas.

Erupção do segundo estágio nas palmas das mãos 
O estágio secundário

A sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST). Existem quatro estágios da doença: primária, secundária, latente e terciária (também conhecida como neurossífilis). A sífilis primária é o primeiro estágio da doença.

Causa uma ou mais feridas pequenas e indolores nos órgãos genitais, no ânus ou na boca. Se você não receber tratamento para o estágio primário da doença, pode progredir para o segundo estágio, que é a sífilis secundária. Se você não for tratado para sífilis secundária, a doença provavelmente progredirá para o estágio latente e poderá até progredir para o estágio terciário.

O estágio secundário da sífilis é curável com tratamento médico. É importante obter tratamento para evitar que a doença progrida para o estágio terciário, que pode não ser curável e pode causar danos aos órgãos, bem como demência (perda de memória), paralisia ou até mesmo a morte.

Sífilis latente
Este estágio assintomático ocorre em duas fases: precoce (dentro de 1 ano da infecção) e tardia (após 1 ano), e segue a sífilis secundária. A sífilis latente tardia não é infecciosa. As bactérias permanecem inativas nos gânglios linfáticos e no baço. A latência pode durar de 3 a 30 anos e pode ou não progredir para a sífilis final, ou terciária. Cerca de 30% das pessoas infectadas persistem em estado latente.

Sífilis terciária: se a infecção não for tratada, ela poderá progredir para um estágio caracterizado por graves problemas no coração, cérebro e nervos que podem resultar em paralisia, cegueira, demência, surdez, impotência e até morte, se não forem tratados.

Fatores de risco
Você enfrenta um risco aumentado de adquirir sífilis se você:

  • É um homem que faz sexo com homens
  • Estão infectados com o HIV, o vírus que causa a AIDS
  • Envolva-se em sexo desprotegido
  • Faça sexo com vários parceiros

Quais são os Sinais e Sintomas da Sífilis?

Os principais sinais e sintomas da sífilis são:

  • Febre
  • Mal-estar geral
  • Dor nas articulações
  • Perda de apetite
  • Manchas úmidas e rugosas (chamadas de condylomata lata) nos genitais ou pregas cutâneas.
  • Dores musculares
  • Erupção cutânea, geralmente nas palmas das mãos e solas dos pés
  • Feridas chamadas manchas mucosas na ou ao redor da boca, vagina ou pênis

Como o Diagnóstico da Sífilis é Feito?

Para diagnosticar a sífilis, você geralmente tem um:

Exame físico – um médico ou enfermeiro pedirá para examinar seus órgãos genitais (e dentro da vagina para mulheres) ou outras partes do corpo para procurar crescimentos ou erupções que possam ser causada por sífilis.

Teste de sangue – isso pode mostrar se você tem sífilis ou se teve no passado; repetir o teste algumas semanas depois pode ser recomendado se for negativo, no caso de ser muito cedo para dar um resultado preciso

Swab test – um cotonete (semelhante a um cotonete) é usado para tirar uma pequena amostra de fluido de qualquer ferida, por isso pode ser verificado para a sífilis.

Saúde

Como Prevenir a Sífilis?

A sífilis é transmitida pelo contato sexual com alguém que a tem. Pode ser passado mesmo se ninguém gozar. A sífilis é transmitida durante o sexo vaginal, anal ou oral. Portanto, a melhor maneira de evitar a sífilis e outras DSTs é não ter sexo vaginal, anal ou oral. Mas a maioria das pessoas faz sexo em algum momento de suas vidas, então saber como fazer sexo seguro é importante. Usar proteção quando você faz sexo realmente ajuda a diminuir suas chances de contrair uma DST.

Realizar testes de DSTs regularmente é outra maneira importante para se manter saudável.

  • Evite ter relações sexuais com múltiplos parceiros
  • Evite compartilhar brinquedos sexuais
  • Faça uma triagem para infecções sexualmente transmissíveis e converse com seus parceiros sobre seus resultados
  • A sífilis também pode ser transmitida através de agulhas compartilhadas. Evite compartilhar agulhas se você for usar drogas
  • Use um dique dental (um pedaço quadrado de látex) ou preservativos durante

Como o Tratamento da Sífilis é Feito?

Uma única injeção intramuscular de penicilina G benzatina de ação prolongada (2,4 milhões de unidades administradas por via intramuscular) curará uma pessoa com sífilis primária, secundária ou latente precoce.

Três doses de penicilina G benzatina de ação prolongada (2,4 milhões de unidades administradas por via intramuscular) em intervalos semanais são recomendadas para indivíduos com sífilis latente tardia ou sífilis latente de duração desconhecida. O tratamento matará a bactéria da sífilis e evitará mais danos, mas não reparará os danos já causados.

A doxiciclina é a melhor alternativa para o tratamento da sífilis latente precoce e tardia. A sífilis associada à infecção pelo HIV não requer nenhuma terapia antimicrobiana avançada. A penicilina é a droga de escolha para o tratamento da sífilis.

No tratamento da sífilis tardia por injeções semanais, a falta de uma dose de penicilina por um período de 10 a 14 dias não requer o reinício de todo o ciclo de injeções. A exceção a isso é no caso de mulheres grávidas nas quais não há latitude por falta de uma dose de penicilina.

Há evidências de que um intervalo de 7-9 dias entre as doses pode produzir melhores resultados. O teste do LCR para detectar neurossífilis é altamente recomendado em pacientes com sífilis terciária ou com sinais ou sintomas neurológicos consistentes com neurossífilis e em pacientes sem sintomas cujos títulos sorológicos não diminuem adequadamente após serem tratados com a terapia recomendada.

As taxas de reinfecção entre os HSH são altas, por isso recomenda-se o teste sorológico frequente neste grupo. O CDC recomenda o uso do algoritmo de rastreamento baseado em RPR.

Quando há baixo risco epidemiológico ou probabilidade clínica de sífilis, o valor preditivo positivo de um teste de quimioluminescência treponêmica reativa não confirmada isolado ou imunoensaio enzimático é baixo.

O que é Sífilis, Sintomas, Cura, Tratamento, Prevenção e Mais
5 (100%) 1 voto


Comente