Inalador

O inalador, também chamado de nebulizador, é um equipamento médico criado com o intuito de medicar o paciente através do vapor por ele liberado, combatendo diversas doenças respiratórios e os problemas das vias aéreas. Um grande número de mortes e internações infantis acontece devido às doenças respiratórias, como a bronquite, a asma e os problemas nos pulmões.

A História do Inalador

A asma é uma doença respiratória amplamente conhecida , cujos primeiros relatos sobre ela datam do ano 2600 a.C. O primeiro protótipo do inalador que utilizamos foi criado por Christopher Bennet, em 1654, mas o equipamento ainda não tinha este nome. Quase cem anos depois, em 1764, Philip Stern, um médico, constatou pelas suas pesquisas que a asma só poderia ser tratada de forma direta nos pulmões se a medicação pudesse ser enviada a eles através da traqueia do paciente.

Mais de 10 anos depois, em 1778, John Mudge, um médico inglês, utilizou a palavra “inalador” para se referir ao aparelho que enviaria a medicação diretamente para os pulmões da pessoa doente, tornando assim o tratamento mais eficiente. A ideia de inalador de John Mudge seria a mesma de um método comum na sua época, onde o ópio era fervido como chá em um caneco que seu vapor fosse inalado por quem sofresse com fortes tosses.

Inalador e Nebulizador


No século seguinte, em 1864, Newton criou um equipamento que possibilitava que os medicamentos fossem inalados em forma de pó. Através de seus estudos ele constatou que, quando em pó, o medicamento poderia ser administrado da forma correta, desde que ele estivesse bem seco. O modelo de equipamento criado por Newton existe até os dias de hoje.

Na década de 50, o conceito do inalador passou por uma revolução com a criação do nebulizador pressurizado de dose controlada. O primeiro relato de utilização deste aparelho é datado de 1956. O nebulizador logo ganhou fama, espalhando-se por todo o mundo, já que seu método é mais rápido e prático, sendo capaz de enviar o medicamento diretamente nos pulmões de maneira eficaz.

No ano de 1965, Raymond Marcel Guy Boucher registrou a patente de um equipamento de nebulização de medicamentos que fazia uso de um processo ultrassônico, capaz de formar uma névoa uniforme e sem os ruídos gerados pelo compressor do inalador antecessor.

Tipos de Inalador

Nebulizador com gerador de ar

Este inalador tem um motor elétrico simples ou uma bobina que induz eletroímã, como um pistão, a uma certa frequência, criando assim um fluxo de ar. Este fluxo de ar é então levado por meio de uma mangueira até o copo graduado para que o medicamento seja depositado. O copo do nebulizador com gerador de ar segue o mesmo princípio de Bernoulli, pois o ar que passa nele suga o líquido depositado no corpo, o que gera a névoa que vai para os pulmões do paciente. As gotículas maiores são paradas na barreira do corpo, o que possibilita que elas retornem para o medicamento, para que sejam reutilizadas.

Nebulizador Ultrassônico

Este inalador utiliza um cristal piezoelétrico em seus circuitos eletrônicos, que é alimentado com uma tensão elétrica, possibilitando assim que ele vibre a uma frequência muito alto. Isto possibilita que o medicamento seja transformado em aerosol e ganhe uma forma nebulosa. O medicamento é então levado para o paciente por meio da ação de um pequeno ventilador que o equipamento contém, semelhante ao ventilador de um computador. O nebulizador ultrassônico apresenta poucos ruídos e possibilita uma névoa mais uniforme para o paciente.

Inalador com desempenho melhorado pela respiração

O inalador com desempenho melhorado pela respiração tem o formato igual ao de um compressor de ar, e se diferencia dos demais aparelhos por conta de sua válvula acoplada ao copo dos medicamentos. Esta válvula fornece o medicamento na inspiração, e quando o paciente expira o ar, a válvula não permite que a névoa disperse pelo ambiente, possibilitando que até 70% do medicamento seja economizado.

Inalador de partícula otimizada

Seguindo os mesmos princípios utilizados pelo inalador ultrassônico, o inalador de partícula otimizada tem o diferencial de operar com frequências mais baixas, e seu funcionamento é parecido ao de uma bomba eletrônica.

Inalador ativado pela respiração

As válvulas do sistema deste inalador são ativadas por meio do fluxo negativo que a pessoa cria. Deste modo, o funcionamento deste aparelho só é possível quando o paciente efetua a inspiração, o que leva à uma grande redução de perda do medicamento. O funcionamento do inalador ativado pela respiração depende de um compressor de ar.

Inalador ativado pela respiração com cristal

Portátil, este tipo de inalador é ativado quando a pessoa respira, e utiliza o cristal piezoelétrico. O conjunto deste equipamento faz com que este inalador seja considerado o melhor dos tempos atuais, já que ele possibilita que o paciente absorva o máximo do medicamento.

Inalador de pó seco

O inalador de pó seco possui um simples e mecânico sistema, além de ter uma carga que possibilita sua reutilização em várias doses. Este equipamento somente pode ser ativado com a inspiração, o que possibilita que o pó fragmentado em pequenas e respiráveis partículas entrem no paciente por meio de suas vias aéreas. Pessoas idosas ou que sofrem de problemas graves de respiração podem ter problema com este inalador, já que ele trabalha com uma média de cerca de 60l/min. Parte da medicação utilizada por este equipamento também pode ser perdida por causa da umidade, que faz com que o pó seja mantido no aparelho.

Inalador pressurizado dosimetrado

O inalador pressurizado dosimetrado possibiliza o armazenamento do medicamento em um tubo feito de plástico cuja pressão é de cerca de 3 atm. Para ser utilizado, basta que seu botão de abertura da válvula seja pressionado, possibilitando a inspiração do medicamento por parte do paciente. Um dos mais utilizados em todo o mundo, este inalador é portátil, e tem a grande vantagem de não necessitar de eletricidade, além de ter uma utilização fácil e prática.

Medicamentos Utilizados

Bebezinho com inalador

Os medicamentos utilizados nos inaladores e nebulizadores para o tratamento de problemas do trato respiratório, asma, bronquite e doença pulmonar obstrutiva crônica são o brometo de ipratrópio, bromidrato de fenoterol e sulfato de salbutamol, pois apresentam ação broncodilatadora. Já a budesonida e o dipronionato de beclometasona são glicocorticoides inalatórios, e atuam de forma a controlar a asma quando o paciente não apresenta mais crise, evitando assim novos quadros de crise.

Conheça os Tipos de Inalador e Nebulizador
4 (80%) 3 votos
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES
Cuide da sua saúde.
Receba nossos novos artigos em seu e-mail e fique sempre informado!

Comente