Se você é estudante de psicologia ou tem interesse pelo tema, já gastou um bom tempo aprendendo sobre as teorias de Sigmund Freud. Mesmo as pessoas que são relativamente pouco familiarizadas com a psicologia como um assunto têm pelo menos alguma consciência da psicanálise, a escola de pensamento criada por Sigmund Freud. Embora você possa ter algum conhecimento passageiro dos principais conceitos da psicanálise, como o inconsciente, as fixações, os mecanismos de defesa e o simbolismo do sonho, pode se perguntar exatamente como essas ideias se encaixam e que influência elas realmente têm sobre os psicólogos contemporâneos.


Anna O e o Desenvolvimento da Terapia da Conversação

Uma das maiores contribuições de Freud para a psicologia foi a terapia da fala, a noção de que simplesmente falar sobre nossos problemas pode ajudar a aliviá-los. Foi através de sua associação com seu amigo e colega Josef Breuer que Freud tomou conhecimento de uma mulher conhecida na história caso como Anna O. O nome verdadeiro da jovem era Bertha Pappenheim e ela se tornou uma paciente de Breuer depois de sofrer uma crise do que era então conhecido como histeria, cujos sintomas incluíam visões borradas, alucinações e paralisia parcial. Foi durante o tratamento que Breuer observou que discutir suas experiências parecia proporcionar algum alívio aos sintomas. Foi a própria Pappenheim quem começou referindo-se ao tratamento como a “cura pela fala”.

Enquanto Anna O é frequentemente descrita como uma das pacientes de Freud, as duas nunca se conheceram. Freud discutiu seu caso com Breuer, no entanto, e os dois colaboraram em um livro de 1895 baseado em seu tratamento intitulado Studies in Hysteria. Freud concluiu que sua histeria era resultado de abuso sexual na infância, uma visão que acabou levando a uma ruptura no relacionamento profissional e pessoal de Freud e Breuer. Anna O pode não ter sido realmente paciente de Freud, mas seu caso informou muito do trabalho de Freud e, posteriormente, teorias sobre terapia e psicanálise.

As Forças Motrizes Por Trás da Personalidade

Segundo a teoria psicanalítica de Freud, toda energia psíquica é gerada pela libido. Freud sugeriu que nossos estados mentais eram influenciados por duas forças concorrentes: catexia e anticatexia. A catexia foi descrita como um investimento de energia mental em uma pessoa, uma ideia ou um objeto. Se você está com fome, por exemplo, você pode criar uma imagem mental de uma deliciosa refeição que você tem desejado. Em outros casos, o ego pode aproveitar parte da energia do id para buscar atividades relacionadas à atividade, a fim de dispersar parte do excesso de energia do id. Se você não pode realmente procurar comida para apaziguar sua fome, você pode folhear um livro de receitas ou navegar pelo seu blog de receitas favoritas.

Anticatexia envolve o ego bloqueando as necessidades socialmente inaceitáveis ​​do id. Reprimir desejos e desejos é uma forma comum de anticatexia, mas envolve um investimento significativo de energia. Lembre-se, de acordo com a teoria de Freud, há apenas muita energia libidinal disponível . Quando grande parte dessa energia está sendo dedicada a suprimir impulsos via anticatexia, há menos energia disponível para outros processos.

Freud também acreditava que grande parte do comportamento humano era motivado por dois instintos impulsivos: os instintos da vida e os instintos de morte. Os instintos da vida são aqueles que se relacionam com uma necessidade básica de sobrevivência, reprodução e prazer. Eles incluem coisas como a necessidade de comida, abrigo, amor e sexo. Ele também sugeriu que todos os humanos têm um desejo inconsciente de morte, ao qual ele se referiu como instintos de morte. Comportamento autodestrutivo, ele acreditava, era uma expressão da pulsão de morte. No entanto, ele acreditava que esses instintos de morte eram em grande parte temperados pelos instintos da vida.

A Psique: A Estrutura Básica da Personalidade

Na teoria freudiana, a mente humana é estruturada em duas partes principais: a mente consciente e inconsciente. A mente consciente inclui todas as coisas de que estamos conscientes ou que podem facilmente levar à consciência. A mente inconsciente, por outro lado, inclui todas as coisas fora da nossa consciência – todos os desejos, desejos, esperanças, desejos e memórias que estão fora da consciência, mas continuam a influenciar o comportamento. Freud comparou a mente a um iceberg. A ponta do iceberg que é realmente visível acima da água representa apenas uma pequena parte da mente, enquanto a enorme extensão de gelo escondida debaixo da água representa o inconsciente muito maior.

A mente consciente inclui todas as coisas de que estamos conscientes ou que podem facilmente levar à consciência. A mente inconsciente, por outro lado, inclui todas as coisas fora da nossa consciência – todos os desejos, desejos, esperanças, desejos e memórias que estão fora da consciência, mas continuam a influenciar o comportamento. Freud comparou a mente a um iceberg. A ponta do iceberg que é realmente visível acima da água representa apenas uma pequena parte da mente, enquanto a enorme extensão de gelo escondida debaixo da água representa o inconsciente muito maior.

Além desses dois principais componentes da mente, a teoria freudiana também divide a personalidade humana em três componentes principais: o id, o ego e o superego . O id é a parte mais primitiva da personalidade que é a fonte de todos os nossos anseios mais básicos. Esta parte da personalidade é inteiramente inconsciente e serve como fonte de toda a energia libidinal. O ego é o componente da personalidade encarregado de lidar com a realidade e ajuda a garantir que as exigências do id sejam satisfeitas de maneiras realistas, seguras e socialmente aceitáveis. O superego é a parte da personalidade que contém todas as morais e padrões internalizados que adquirimos de nossos pais, família e sociedade em geral.

Os Estágios Psicossexuais do Desenvolvimento

A teoria freudiana sugere que, à medida que as crianças se desenvolvem, elas progridem através de uma série de estágios psicossexuais. Em cada estágio, a energia de busca de prazer da libido é focada em uma parte diferente do corpo.

Os cinco estágios do desenvolvimento psicossexual são:

  1. O Estágio Oral: As energias libidinais estão focadas na boca.
  2. O Estágio Anal: As energias libidinais estão focadas no ânus.
  3. O Estágio Fálico: As energias libidinais estão focadas no pênis ou no clitóris.
  4. O Estágio Latente: Um período de calma em que pouco interesse libidinal está presente.
  5. Estágio genital: as energias libidinais estão focadas nos genitais.

A conclusão bem-sucedida de cada estágio leva a uma personalidade saudável como um adulto. Se, no entanto, um conflito permanecer não resolvido em qualquer estágio específico, o indivíduo pode permanecer fixo ou preso a esse ponto específico de desenvolvimento. Uma fixação pode envolver uma superdependência ou obsessão por algo relacionado a essa fase de desenvolvimento. Por exemplo, acredita-se que uma pessoa com uma “fixação oral” esteja presa no estágio oral do desenvolvimento. Os sinais de uma fixação oral podem incluir uma dependência excessiva de comportamentos orais, como fumar, morder as unhas ou comer.

Análise dos Sonhos

A mente inconsciente desempenhou um papel crítico em todas as teorias de Freud, e ele considerou os sonhos como uma das principais maneiras de dar uma olhada no que está fora de nossa percepção consciente. Ele apelidou os sonhos de “a estrada real para o inconsciente” e acreditava que, ao examinar os sonhos, ele podia ver não apenas como a mente inconsciente funciona, mas o que ela está tentando esconder da percepção consciente.

Freud acreditava que o conteúdo dos sonhos poderia ser dividido em dois tipos diferentes. O conteúdo manifesto de um sonho incluía todo o conteúdo real do sonho – os eventos, imagens e pensamentos contidos no sonho. O conteúdo manifesto é essencialmente o que o sonhador lembra ao acordar. O conteúdo latente, por outro lado, é todo o significado oculto e simbólico dentro do sonho. Freud acreditava que os sonhos eram essencialmente uma forma de realização de desejos. Ao tomar pensamentos, sentimentos e desejos inconscientes e transformá-los em formas menos ameaçadoras, as pessoas são capazes de reduzir a ansiedade do ego.

Ele freqüentemente utilizou a análise dos sonhos como ponto de partida em sua técnica de associação livre. O analista se concentraria em um símbolo de sonho em particular e depois usaria associação livre para ver que outros pensamentos e imagens imediatamente chegavam à mente de um cliente.

Mecanismos de Defesa

Mesmo que você nunca tenha estudado as teorias de Freud antes, provavelmente já ouviu falar do termo “mecanismos de defesa” algumas vezes. Quando alguém parece não estar disposto a encarar uma verdade dolorosa, você pode acusá-la de estar “em negação”. Quando uma pessoa tenta procurar uma explicação lógica para um comportamento inaceitável, você pode sugerir que ela está “racionalizando”.

Essas coisas representam diferentes tipos de mecanismos de defesa ou táticas que o ego usa para se proteger da ansiedade. Alguns dos mecanismos de defesa mais conhecidos incluem negação, repressão e regressão, mas há muitos mais. Descubra mais sobre os tipos de defesa e como eles funcionam para proteger o ego nesta visão geral dos mecanismos de defesa.

Opiniões Contemporâneas Sobre a Teoria Freudiana

Embora as teorias de Freud tenham sido amplamente criticadas, é importante lembrar que seu trabalho deu importantes contribuições à psicologia. Seu trabalho provocou uma grande mudança na forma como vemos a doença mental, sugerindo que nem todos os problemas psicológicos têm causas fisiológicas. Sua crença de que os problemas mentais poderiam ser resolvidos ao falar sobre eles ajudou a revolucionar a psicoterapia.

Como muitos psicólogos contemporâneos não dão muita credibilidade a muitas das idéias de Freud, você pode se perguntar por que deveria se preocupar em aprender sobre a teoria freudiana. Primeiro, e talvez mais importante, para entender onde a psicologia está hoje, é essencial dar uma olhada para onde estamos e como chegamos aqui. O trabalho de Freud fornece uma visão de um movimento importante na psicologia que ajudou a transformar a maneira como pensamos sobre a saúde mental e como abordamos os distúrbios psicológicos.

Ao estudar essas teorias e aquelas que vieram depois, você pode entender melhor a rica e fascinante história da psicologia. Muitos termos psicanalíticos, como mecanismo de defesaato falho, e retentiva analtornaram-se uma parte da nossa linguagem cotidiana. Ao aprender mais sobre o seu trabalho e teorias, você pode entender melhor como essas idéias e conceitos se tornaram parte do tecido da cultura popular.

Conheça as Teorias de Freud
4 (80%) 1 voto

Comente