Todos nós temos pensamentos, sentimentos e memórias que podem ser difíceis de lidar. Em alguns casos, as pessoas lidam com esses sentimentos, utilizando o que são conhecidos como mecanismos de defesa. Esses mecanismos de defesa são respostas psicológicas inconscientes que protegem as pessoas de ameaças e coisas com as quais não querem pensar ou lidar.


O termo teve seu início na terapia psicanalítica, mas lentamente entrou na linguagem da linguagem cotidiana. Pense na última vez em que você se referiu a alguém como “em negação” ou acusou alguém de “racionalizar”. Ambos os exemplos se referem a um tipo de mecanismo de defesa.

Mais notavelmente usado por Sigmund Freud em sua teoria psicanalítica, um mecanismo de defesa é uma tática desenvolvida pelo ego para proteger contra a ansiedade. Mecanismos de defesa são pensados ​​para proteger a mente contra sentimentos e pensamentos que são muito difíceis para a mente consciente lidar. Em alguns casos, acredita-se que os mecanismos de defesa impedem que pensamentos e impulsos inadequados ou indesejados entrem na mente consciente.

Como os Mecanismos de Defesa da Mente Funcionam?

No modelo de personalidade de Sigmund Freud, o ego é o aspecto da personalidade que lida com a realidade. Ao fazer isso, o ego também tem que lidar com as demandas conflitantes do id e do superego.

  • O id é a parte da personalidade que procura satisfazer todos os desejos, necessidades e impulsos. É a parte mais básica e primordial de nossas personalidades e não considera coisas como a adequação social, a moralidade ou mesmo a realidade de satisfazer nossos desejos e necessidades.
  • O superego tenta fazer com que o ego aja de maneira idealista e moral. Essa parte da personalidade é composta de todas as morais e valores internalizados que adquirimos de nossos pais, outros membros da família, influências religiosas e sociedade.
  • Para lidar com a ansiedade, Freud acreditava que os mecanismos de defesa ajudavam a proteger o ego dos conflitos criados pelo id, superego e realidade.

Então, o que acontece quando o ego não consegue lidar com as demandas de nossos desejos, as restrições da realidade e nossos próprios padrões morais? De acordo com Freud, a ansiedade é um estado interior desagradável que as pessoas procuram evitar. A ansiedade age como um sinal para o ego de que as coisas não estão indo como deveriam. Como resultado, o ego emprega algum tipo de mecanismo de defesa para ajudar a reduzir esses sentimentos de ansiedade.

Tipos de Ansiedade

Nem todos os tipos de ansiedade são criados iguais. Nem essas ansiedades derivam das mesmas fontes.

Freud identificou três tipos de ansiedade:

  1. A ansiedade neurótica é a preocupação inconsciente de perdermos o controle dos impulsos do id, resultando em punição por comportamento inadequado.
  2. A ansiedade da realidade é o medo de eventos do mundo real. A causa dessa ansiedade é geralmente facilmente identificada. Por exemplo, uma pessoa pode temer receber uma mordida de cachorro quando estiver perto de um cão ameaçador. A maneira mais comum de reduzir essa ansiedade é evitar o objeto ameaçador.
  3. A ansiedade moral envolve o medo de violar nossos princípios morais.
Cérebro

Embora possamos conscientemente usar esses mecanismos, em muitos casos essas defesas funcionam inconscientemente para distorcer a realidade. Por exemplo, se você se depara com uma tarefa particularmente desagradável, sua mente pode optar por esquecer sua responsabilidade para evitar a atribuição temida. Além do esquecimento, outros mecanismos de defesa incluem racionalização, negação, repressão, projeção, rejeição e formação de reação.

Embora todos os mecanismos de defesa possam ser insalubres, eles também podem ser adaptativos e nos permitem funcionar normalmente. Os maiores problemas surgem quando os mecanismos de defesa são usados ​​em demasia para evitar problemas. Na terapia psicanalítica, o objetivo pode ser ajudar o cliente a descobrir esses mecanismos de defesa inconscientes e encontrar formas melhores e mais saudáveis ​​de lidar com a ansiedade e a angústia.

Quais são os Principais Mecanismos de Defesa da Mente?

A filha de Sigmund Freud, Anna Freud, descreveu dez mecanismos de defesa diferentes usados ​​pelo ego. Outros pesquisadores também descreveram uma ampla variedade de mecanismos de defesa adicionais.

Deslocamento

Você já teve um dia muito ruim no trabalho e depois foi para casa e tirou sua frustração da família e dos amigos? Então você experimentou o mecanismo de defesa do ego de deslocamento.

O deslocamento envolve tirar nossas frustrações, sentimentos e impulsos sobre pessoas ou objetos que são menos ameaçadores.

A agressão deslocada é um exemplo comum desse mecanismo de defesa. Em vez de expressar nossa raiva de maneiras que poderiam levar a consequências negativas (como discutir com nosso chefe), em vez disso, expressamos nossa raiva em relação a uma pessoa ou objeto que não representa ameaça (como nosso cônjuge, filhos ou animais de estimação).

Negação

A negação é provavelmente um dos mecanismos de defesa mais conhecidos, usado frequentemente para descrever situações em que as pessoas parecem incapazes de encarar a realidade ou admitir uma verdade óbvia (isto é, “Ele está em negação”). A negação é uma recusa absoluta de admitir ou reconhecer que algo ocorreu ou está ocorrendo atualmente. Viciados em drogas ou alcoólatras muitas vezes negam que tenham um problema, enquanto vítimas de eventos traumáticos podem negar que o evento tenha ocorrido.

A negação funciona para proteger o ego de coisas com as quais o indivíduo não pode lidar. Embora isso possa nos salvar da ansiedade ou da dor, a negação também requer um investimento substancial de energia. Por causa disso, outras defesas também são usadas para manter esses sentimentos inaceitáveis ​​de consciência.

Em muitos casos, pode haver evidências contundentes de que algo é verdade, mas a pessoa continuará a negar sua existência ou verdade, porque é muito desconfortável enfrentá-la.

A negação pode envolver uma rejeição total da existência de um fato ou realidade. Em outros casos, pode envolver admitir que algo é verdadeiro, mas minimizar sua importância. Às vezes as pessoas aceitam a realidade e a seriedade do fato, mas negarão sua própria responsabilidade e culparão outras pessoas ou outras forças externas.

O vício é um dos exemplos mais conhecidos de negação. As pessoas que sofrem de um problema de abuso de substâncias geralmente negam que seu comportamento é problemático. Em outros casos, eles podem admitir que usam drogas ou álcool, mas alegam que esse abuso de substâncias não é um problema.

Repressão e Supressão

A repressão é outro mecanismo de defesa bem conhecido. A repressão age para manter as informações fora da consciência. No entanto, essas memórias não desaparecem apenas; eles continuam a influenciar nosso comportamento. Por exemplo, uma pessoa que reprimiu as lembranças de abuso sofridas quando criança pode mais tarde ter dificuldades em formar relacionamentos.

Às vezes fazemos isso conscientemente, forçando a informação indesejada para fora da nossa consciência, que é conhecida como supressão. Na maioria dos casos, no entanto, acredita-se que essa remoção de memórias provocadoras de ansiedade de nossa consciência ocorra inconscientemente.

depressao

Sublimação

A sublimação é um mecanismo de defesa que nos permite atuar impulsos inaceitáveis, convertendo esses comportamentos em uma forma mais aceitável. Por exemplo, uma pessoa com raiva extrema pode usar o kickboxing como meio de desabafar a frustração. Freud acreditava que a sublimação era um sinal de maturidade que permite que as pessoas funcionem normalmente de maneiras socialmente aceitáveis.

Projeção

Projeção é um mecanismo de defesa que envolve tirar nossas próprias qualidades ou sentimentos inaceitáveis ​​e atribuí-los a outras pessoas. Por exemplo, se você tem uma forte antipatia por alguém, pode acreditar que ele não gosta de você. A projeção funciona permitindo a expressão do desejo ou impulso, mas de um modo que o ego não pode reconhecer, reduzindo assim a ansiedade.

Intelectualização

A intelectualização trabalha para reduzir a ansiedade pensando em eventos de maneira fria e clínica. Esse mecanismo de defesa nos permite evitar pensar no aspecto estressante e emocional da situação e, ao invés disso, focar apenas no componente intelectual. Por exemplo, uma pessoa que acaba de ser diagnosticada com uma doença terminal pode se concentrar em aprender tudo sobre a doença, a fim de evitar o sofrimento e permanecer distante da realidade da situação.

Racionalização

A racionalização é um mecanismo de defesa que envolve explicar um comportamento ou sentimento inaceitável de maneira racional ou lógica, evitando as verdadeiras razões do comportamento. Por exemplo, uma pessoa que é rejeitada por um encontro pode racionalizar a situação dizendo que não foi atraída para a outra pessoa de qualquer maneira. Um aluno pode culpar uma nota de exame ruim no instrutor, em vez de sua falta de preparação.

A racionalização não só previne a ansiedade, como também protege a auto-estima e o autoconceito. Quando confrontados com sucesso ou fracasso, as pessoas tendem a atribuir o sucesso às suas próprias qualidades e habilidades, enquanto os fracassos são atribuídos a outras pessoas ou a forças externas.

Regressão

Quando confrontados com eventos estressantes, as pessoas às vezes abandonam as estratégias de enfrentamento e voltam aos padrões de comportamento usados ​​anteriormente no desenvolvimento. Anna Freud chamou isso de regressão do mecanismo de defesa, sugerindo que as pessoas representassem comportamentos do estágio de desenvolvimento psicossexual em que estão fixados. Por exemplo, um indivíduo fixado em um estágio de desenvolvimento anterior pode chorar ou ficar de mau humor ao ouvir notícias desagradáveis.

Os comportamentos associados à regressão podem variar muito dependendo de qual estágio a pessoa está fixada. Um indivíduo fixado na fase oral pode começar a comer ou fumar excessivamente, ou pode se tornar muito agressivo verbalmente. Uma fixação no estágio anal pode resultar em limpeza excessiva ou desordem.

Formação de reação

A formação de reações reduz a ansiedade, assumindo o sentimento, impulso ou comportamento oposto. Um exemplo de formação de reação seria tratar alguém que você não gosta de maneira excessivamente amigável, a fim de esconder seus verdadeiros sentimentos. Por que as pessoas se comportam dessa maneira? De acordo com Freud, eles estão usando a reação como um mecanismo de defesa para esconder seus verdadeiros sentimentos comportando-se exatamente da maneira oposta.

Outros Mecanismos de Defesa

Desde que Freud descreveu pela primeira vez os mecanismos de defesa originais, outros pesquisadores continuaram a descrever outros métodos de redução da ansiedade.

Ansiedade

Alguns desses mecanismos de defesa incluem:

Atuação: Neste tipo de defesa, o indivíduo lida com o estresse, engajando-se em ações, em vez de refletir sobre sentimentos internos.

Afiliação: isso envolve recorrer a outras pessoas em busca de apoio.

Inibição do Objetivo: Nesse tipo de defesa, o indivíduo aceita uma forma modificada de seu objetivo original (ou seja, tornar-se um treinador de basquete do ensino médio em vez de um atleta profissional).

Altruísmo: Satisfação das necessidades internas através da ajuda aos outros.

Evitar: Recusar-se a lidar ou encontrar objetos ou situações desagradáveis.

Compensação:  Compensação em uma área para compensar as falhas em outra.

Humor: Apontando os aspectos engraçados ou irônicos de uma situação.

Agressão passiva: Expressando indiretamente raiva.

Fantasia: Evitar a realidade, recuando para um lugar seguro dentro da mente.

Desfazer:  Isso envolve tentar compensar o que se sente como pensamentos, sentimentos ou comportamentos inadequados. Se você ferir os sentimentos de alguém, você pode se oferecer para fazer algo de bom para eles, a fim de amenizar sua ansiedade.

Embora os mecanismos de defesa sejam frequentemente vistos como reações negativas, todos nós precisamos deles para aliviar temporariamente o estresse e proteger a auto-estima durante os momentos críticos. Algumas dessas defesas podem ser mais úteis do que outras. Por exemplo, utilizar o humor para superar uma situação estressante e provocadora de ansiedade pode, na verdade, ser um mecanismo de defesa adaptativo.

Os Mecanismos de Defesa da Mente (Repressão, Negação, Projeção, Deslocamento, Regressão e Sublimação)
5 (100%) 2 votos

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES
Cuide da sua saúde.
Receba nossos novos artigos em seu e-mail e fique sempre informado!

Comente