A paranoia é uma condição na qual o paciente se torna presa da ilusão prematura. Esta condição psicológica causa no paciente delírios de perseguição, ciúme, auto-indulgência extrema, tipicamente tomando forma de um sistema internamente. Pode ser um manifesto de transtorno de personalidade crônico, abuso de drogas ou, em muitas condições graves, um sintoma de esquizofrenia. A paranoia não é caracterizada por quaisquer alucinações, mas muitas vezes tem uma ilusão sistemática de grandeza.

Paranoia muitas vezes é um sintoma de uma condição subjacente, como transtorno de personalidade paranóide, esquizofrenia ou transtorno delirante, etc. O tratamento da paranóia pode incluir medicamentos prescritos e algumas terapias diferentes ou uma combinação delas.


O sentimento comum experimentado por pessoas que sofrem de paranoia é que eles estão sendo alvo de perseguição por outros. Seu sentimento varia entre idéias alucinantes de serem figuras centrais em situações que estão longe da realidade. Essas idéias têm muito pouca conexão com elas na vida real.

De um modo geral, as pessoas que sofrem de Transtorno da Personalidade Paranoica não confiam em outras pessoas. Eles sempre têm um desejo ou necessidade de se tornar ou mostrar um alto grau de autonomia e auto-suficiência. Eles tentam ter um controle de som sobre outras pessoas ao seu redor. Rígido, teimoso, sempre crítico, nível mais baixo de colaboração, são alguns dos traços de pessoas que sofrem com o Transtorno da Personalidade Paranoica.

A Paranoia é uma Doença Comum?

Devido à falta de estudo adequado e nenhuma pesquisa nesta área antes dos últimos 20 anos, tem havido pouca informação sobre a gravidade dos sofrimentos paranoides em todo o mundo (demografia). De acordo com algumas das recentes pesquisas realizadas nos EUA, Reino Unido, França, etc, a paranoia é generalizada e cerca de 18% a 20% das pessoas em todo o mundo têm pensamentos paranoicos. Cerca de 3% a 5% das pessoas têm formas graves de paranoia.

Quais são os Principais Sinais e Sintomas da Paranoia?

Dentre os sintomas da paranoia, o principal é a ilusão permanente. Deve-se ter em mente que também há delírio na esquizofrenia, mas, nesse caso, não é permanente nem organizado. Na paranoia, os sintomas do delírio aparecem gradualmente, e o paciente é sentimental, desconfiado, irritável, introvertido, deprimido, obstinado, ciumento, egoísta, anti-social e amargo. Portanto, seu ajuste social e familiar não é desejável e, embora tenha o mais alto nível desejável, o esforço que ele está preparado para gastar é correspondentemente pequeno. Aqui a pessoa não reconhece suas próprias falhas ou falhas, e às vezes aceitando certas qualidades como pertencentes a si mesmo, mesmo quando imaginário, ele desenvolve paranoia.

Ansiedade

São comuns os seguintes sintomas de transtorno de personalidade paranoica:

  • Preocupado com dúvidas sem suporte sobre amigos ou associados.
  • suspeito; suspeitas infundadas; acredita que os outros estão tramando contra ele / ela.
  • percebe ataques à sua reputação que não são claros para os outros e é rápido em contra-atacar.
  • mantém suspeitas infundadas sobre a fidelidade de um cônjuge ou outra pessoa
  • lê significados negativos em comentários inócuos.
  • relutante em confiar nos outros devido ao medo de que a informação possa ser usada contra ele / ela.
Depressão

Quais são os Tipos de Paranoia?

  1. Paranoia persecutória – Esse é o tipo de paranoia mais prevalente, e nesse paciente se faz acreditar que todos os que o rodeiam são inimigos, empenhados em prejudicá-lo ou até mesmo em tirar sua vida. Nesta ilusão, as pessoas de temperamento agressivo muitas vezes transformam-se em matadores perigosos.
  2. Ilusão de Grandeur – Neste paciente acredita-se ser um grande indivíduo, e de acordo com Bleuler, esta ilusão de grandeza acompanha uma ilusão persecutória.
  3. Paranoia religiosa – Aqui os pacientes sofrem de uma ilusão permanente de natureza essencialmente religiosa. Ele, por exemplo, acredita que ele é o mensageiro de Deus que foi enviado ao mundo para propagar alguma religião.
  4. Paranoia reformatória – Nisso o paciente passa a se considerar um grande reformador. Ele, consequentemente, olha para todos aqueles ao seu redor. Como sofre de doença perigosa, e acredita que ele é seu reformador e curador.
  5. Paranoia erótica – Aqui, o paciente muitas vezes tende a acreditar que alguns membros da família do sexo oposto, pertencentes a uma família ilustre, querem se casar com ele. Essas pessoas até escrevem cartas de amor e ali causam muito aborrecimento a outras pessoas.
  6. Paranoia litigiosa – Neste tipo, o paciente leva a sentir casos sem sentido contra outras pessoas e sente que as pessoas estão ligadas para incomodá-lo. Às vezes ele até tenta matar.
  7. Paranoia hipocondríaca – Neste tipo, os pacientes acreditam que ele está sofrendo de todo tipo de doenças ridículas, e também que algumas outras pessoas são culpadas por seu sofrimento.

Quais são as Causas da Paranoia?

1) Fixação homossexual: De acordo com Freud, o paciente que sofre da doença reprimiu sua tendência ao amor homossexual a ponto de desenvolver uma fixação em relação a ele. A visão de Freud foi achada correta em muitos casos, mas não explica todo e qualquer caso da doença.

2) Sentimentos de inferioridade: Aqui os psicólogos descobriram que a principal causa da paranóia é um sentimento de inferioridade que pode ser causado por uma variedade de condições, tais como fracasso, nojo, sentimento de culpa.

3) Complexo emocional: certo psicólogo aponta complexos emocionais, e também acredita que eles são vistos como presentes em outras doenças mentais, como também em indivíduos normais.

4) Tipo de personalidade: Cameron acredita que um certo tipo de ser mais suscetível a esta doença, uma personalidade que sentimentalmente, inveja, suspeita, ambição, egoísmo e timidez etc. Os pacientes de paranoia exibem essas peculiaridades da personalidade, mas sobre esta base eles não podem ser dito pertencer a uma personalidade definida.

5) Hereditariedade: Na opinião de Fisher, a principal responsabilidade da paranóia reside justa e diretamente na hereditariedade, embora ele não negue a importância da repressão e dos complexos emocionais. As causas da paranóia não são físicas porque nenhum paciente exibe qualquer sinal de deformidade física e entre as causas existem muitas “importantes”, como defeitos de personalidade, sensação de inferioridade, repressão, etc.

Como o Diagnóstico da Paranoia Pode ser Feito?

Existem dois níveis de dificuldade em identificar e diagnosticar corretamente o comportamento paranoico. O primeiro é o grau de desconfiança relacionado à gama de transtornos mentais – por exemplo, pode ocorrer com pessoas com demência. Segundo a pessoa não quer visitar os médicos e hospitais. Eles certamente se recusarão a fazer parte de qualquer ambiente médico – temido por danos no hospital. Principalmente, os testes gerais para diagnosticar incluem exame físico, testes psicológicos, descartando outras doenças mentais, verificando o histórico médico e os sintomas, etc.

Medicação, Tratamento e Cura da Paranoia

O tratamento da paranoia não é reto como outras doenças. Esta é uma doença que é controlada e tratada usando terapia comportamental. Destina-se a reduzir a sensibilidade dos críticos e trabalhar nas habilidades sociais. Uma vez que a pessoa que sofre é irritável, relutante e protetora consigo mesma, pode ser difícil obter o progresso do tratamento. A ideia da terapia comportamental é quebrar o ciclo da suspeita através do uso de técnicas de controle de ansiedade e mudanças de comportamento em certas áreas do dia a dia. 


A cura da paranoia é muito difícil e é essencial que o tratamento seja iniciado imediatamente e que a doença venha a ser conhecida. Uma vez que cresce em uma pessoa, não há cura para ela. O principal método de cura é o seguinte:

  • Método psicanalítico – Comparada a outras doenças mentais, esta doença não responde imediatamente ao tratamento psicanalítico, pois, sendo suspeito, o paciente não coopera com o médico. Mesmo assim, com a devida precaução, certos resultados podem ser alcançados empregando esse método.
  • Injeção de insulina – alguns pacientes também respondem a esse tratamento, mas isso não pode ser dito de todos.
O Que é Paranoia? Conheça os Sintomas, Causas e Tratamentos
5 (100%) 3 votos


Comente