O que é Bulimia?

A bulimia nervosa é um transtorno alimentar grave caracterizado por episódios frequentes de compulsão alimentar, seguidos de esforços extremos para evitar o ganho de peso, geralmente por vômito ou exercício excessivo. Este ciclo repetitivo de compulsão alimentar e purga pode causar danos ao seu sistema digestivo e criar desequilíbrios químicos no corpo que prejudicam o funcionamento dos principais órgãos, incluindo o coração. Pode até ser fatal.

Embora seja mais comum entre as mulheres jovens, a bulimia pode afetar mulheres e homens de todas as idades. Quando você está lutando com o transtorno alimentar, a vida é uma batalha constante entre o desejo de perder peso e a compulsão irresistível de comer compulsivamente. Você não quer se embriagar – sabe que se sentirá culpado e envergonhado depois -, mas muitas vezes você cede. Depois que a compulsão termina, o pânico se instala e você passa a tomar medidas drásticas para “desfazer” sua alimentação excessiva, como tomar laxantes, vomitar ou ir para uma corrida intensa. Não importa o quanto você esteja preso nesse círculo vicioso, há esperança. Com tratamento e apoio, você pode quebrar o ciclo, aprender a gerenciar emoções desagradáveis ​​de maneira mais saudável e recuperar seu senso de controle.

Bulimia

Quais são os Principais Sinais e Sintomas da Bulimia?

Se você vive com bulimia há algum tempo, provavelmente “fez tudo” para esconder seus hábitos compulsivos e expurgantes. É apenas humano sentir-se envergonhado por ter dificuldade em se controlar com comida, então você provavelmente bebe sozinho. Se você comer uma caixa de donuts, você os substituirá para que seus amigos ou familiares não percebam. Ao comprar comida para uma farra, você pode fazer compras em quatro mercados diferentes para que o verificador não adivinhe. Mas apesar da sua vida secreta, as pessoas mais próximas a você provavelmente têm a sensação de que algo não está certo.

Sinais e sintomas de compulsão alimentar

Falta de controle sobre comer. Incapaz de parar de comer até o ponto de desconforto físico e dor.

Segredo em torno de comer. Indo para a cozinha depois que todo mundo foi para a cama. Sair sozinho em comida inesperada é executado.

Comer quantidades extraordinariamente grandes de alimentos sem nenhuma mudança óbvia de peso.

Desaparecimento de comida, numerosos invólucros vazios ou recipientes de comida no lixo, ou esconderijos escondidos de junk food.

Alternando entre excessos e jejum. Raramente comer refeições normais, é tudo ou nada quando se trata de comida.

Quais são as Causas e Efeitos da Bulimia?

Não há uma causa única de bulimia. Embora a baixa auto-estima e as preocupações com o peso e a imagem corporal desempenhem papéis importantes, há muitos outros fatores que contribuem para isso. Você pode ter problemas para controlar suas emoções de maneira saudável e usar a alimentação como uma liberação emocional, compulsão e purgação quando se sentir irritado, deprimido, estressado ou ansioso.

Quando você está vivendo com a bulimia, você está colocando seu corpo – e até mesmo sua vida – em risco. O efeito colateral mais perigoso da bulimia é a desidratação causada pela purgação. Vômitos, laxantes e diuréticos podem causar desequilíbrio eletrolítico no organismo, mais comumente na forma de baixos níveis de potássio. Baixos níveis de potássio desencadeiam uma ampla gama de sintomas que variam de letargia e pensamento nebuloso a batimentos cardíacos irregulares e morte. Níveis cronicamente baixos de potássio também podem resultar em insuficiência renal. O uso de xarope de ipeca também é muito perigoso e pode causar morte súbita.

Quais são os Fatores de Risco Para Bulimia?

Fatores de risco para bulimia incluem:

Imagem corporal fraca, especialmente quando combinada com dieta rigorosa.

Baixa auto-estima, muitas vezes decorrente de depressão, perfeccionismo ou ambiente familiar crítico.

Mudanças estressantes na vida, como um rompimento, ir para a faculdade, começar um novo emprego ou passar pela puberdade.

História de trauma ou abuso. Isso inclui coisas como agressão sexual, negligência ou abuso na infância, relacionamentos familiares conturbados ou a morte de um ente querido.

Depressão

Como o Tratamento Para Bulimia é Feito?

Estudos sobre a eficácia do tratamento para a bulimia parecem mostrar que o tratamento psicoterápico para bulimia é superior à medicação ou terapia comportamental. Acredita-se que a terapia comportamental cognitiva seja um tanto superior a outras formas de psicoterapia no tratamento desse transtorno alimentar. Esta forma de psicoterapia ajuda a aliviar a bulimia e reduz a probabilidade de que ela volte, ajudando o sofredor de transtorno alimentar a mudar sua maneira de pensar sobre certos assuntos. Na TCC, o terapeuta usa três técnicas para atingir esses objetivos:

  • Componente didático: Esta fase ajuda a estabelecer expectativas positivas para a terapia e promove a cooperação da pessoa com o processo de tratamento.
  • Componente cognitivo: ajuda a identificar os pensamentos e pressupostos que influenciam os comportamentos do indivíduo bulímico, particularmente aqueles que podem predispor o portador a uma alimentação desordenada.
  • Componente comportamental: emprega técnicas de modificação de comportamento para ensinar à pessoa estratégias mais eficazes para lidar com problemas.

A terapia familiar também é frequentemente usada para tratar a bulimia, particularmente para pacientes adolescentes. Geralmente ocorre em três fases:

  • Inicialmente, a família trabalha com o terapeuta para ajudar o adolescente a manter a ingestão adequada de alimentos e limitar as formas negativas que o transtorno alimentar usa para controlar seu peso.
  • Depois que o indivíduo bulímico começa a controlar seus comportamentos alimentares negativos, ele é encorajado a assumir a responsabilidade de manter uma alimentação adequada e evitar os comportamentos de purgação.
  • Na fase final do tratamento, questões de vida mais gerais do adolescente são abordadas e os efeitos da bulimia nas atividades normais e no desenvolvimento normal são examinados.

Como Prevenir a Bulimia?

A maioria dos programas de prevenção da bulimia se concentra em educar as populações públicas e em risco, como os adolescentes, sobre os perigos do transtorno (psicoeducação). Embora a psicoeducação tenha aumentado o conhecimento de quem a recebe, os estudos não mostram mais do que mudanças mínimas de comportamento. Mais bem-sucedidos que a psicoeducação passiva parecem ser abordagens de prevenção que abordam especificamente as formas de pensar dos transtornos alimentares, como considerar a magreza como o tipo de corpo ideal.

O que é Bulimia, Sintomas, Causas, Tratamento, Cura e Mais
5 (100%) 2 votos

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES
Cuide da sua saúde.
Receba nossos novos artigos em seu e-mail e fique sempre informado!

Comente