Quais são os Métodos Contraceptivos Mais Usados?

Existem cerca de 15 tipos diferentes de contraceptivos que lhe permitem desfrutar de sexo sem o risco de engravidar. Eles vão desde a pílula anticoncepcional até o planejamento familiar natural.

É importante, ao escolher um método contraceptivo, levar em conta que erros humanos podem acontecer, como é fácil de usar e quão boa é a eficácia para cada método em uso ideal.

Existem cerca de 15 tipos diferentes de contraceptivos que lhe permitem desfrutar do sexo sem o risco de engravidar.


Esses métodos de controle de natalidade incluem: preservativos, diafragma, pílula anticoncepcional, implantes, DIUs (dispositivos intra-uterinos), esterilização e a pílula do dia seguinte.

Muitos desses métodos de contracepção também diminuem sua chance de contrair uma IST.

Preservativos, espermicidas e esponjas à parte, a maioria dos tipos de contracepção só pode ser obtida com a ajuda de um médico.

Quais Métodos de Contracepção Existem?

Nos últimos 50 anos, o número de métodos contraceptivos aumentou drasticamente. Você pode diferenciar entre os diferentes tipos de contracepção com base em como eles funcionam: existem métodos de barreira (por exemplo, preservativos ou capuz cervical), métodos hormonais (por exemplo, a pílula), dispositivos intra-uterinos (DIU) e esterilização.

A contracepção de emergência (manhã após a pílula) é outro método, mas apenas revisaremos a “contracepção planejada” aqui.

A maioria dos tipos de contraceptivos funciona de acordo com:

a) impedir que um ovo seja liberado a cada mês (hormônios)

b) impedir que os espermatozóides cheguem ao óvulo (barreira e alguns métodos do DIU)

c) bloqueio da função reprodutiva – em homens ou mulheres (esterilização)

d) impedir que um óvulo fertilizado se implante no útero (hormônios)

A Pílula

O preservativo e a pílula consistentemente se classificam no topo como os tipos de contracepção mais comumente usados.

A pílula anticoncepcional foi inventada em 1960. Cinquenta anos depois, muitas novas invenções foram adicionadas à lista de métodos contraceptivos disponíveis, mas a pílula continua sendo a forma mais popular de contracepção feminina.

A pílula contraceptiva impedirá que você engravide em 95% dos casos e chega perto de fornecer 99% de proteção se você tomar uma pílula todos os dias conforme prescrito.

A pílula pode vir em duas formas: a pílula anticoncepcional combinada (contendo os hormônios estrogênio e progesterona) ou a minipílula (apenas progestogênio). No caso da mini-pílula, é importante que você tome sua pílula todos os dias ao mesmo tempo (você não deve se atrasar por mais de três horas).

Tenha em mente que a pílula não oferece nenhuma proteção contra ISTs e que a prescrição de um médico é necessária para comprá-la.

O Preservativo Masculino

Entre os diferentes tipos de contraceptivos, o preservativo masculino é um forte candidato ao título de método contraceptivo mais comum. É fácil de usar, acessível e oferece a melhor proteção contra DSTs (por exemplo, gonorreia, clamídiaHIV).

Os preservativos são geralmente feitos de látex, mas se você é alérgico ao látex, algumas marcas também são especializadas em preservativos feitos de poliuretano ou pele de carneiro. Estes dois também são compatíveis com lubrificante (preservativos de látex não são, a menos que com lubrificante à base de água); no entanto, os preservativos de pele de cordeiro não fornecem proteção contra ISTs.

Por razões de segurança, certifique-se de usar um novo preservativo cada vez que fizer sexo.

O Preservativo Feminino

Assim como o preservativo masculino, o preservativo feminino é um dos poucos tipos de contracepção que você pode comprar sem receita em farmácias e mercearias sem receita médica.

Foi introduzido pela primeira vez há vinte anos e oferece 95% de proteção eficaz contra a gravidez, bem como alguma proteção contra ISTs. Os preservativos femininos são geralmente mais caros que os masculinos, mas são menos propensos a estourar. Eles podem ser inseridos até oito horas antes do sexo.

O Diafragma

Continuando com a lista de métodos de contracepção de barreira, há o diafragma contraceptivo que é colocado dentro da vagina de modo que impede que o esperma entre no útero. Apesar de ser um método de barreira, não protege contra DSTs.

O diafragma deve ser revestido com espermicida de cada vez antes do sexo e o médico precisa mostrar-lhe como usá-lo (você precisa de receita médica para obter um). É inserido pelo menos seis horas antes do sexo e precisa ser removido após 24 horas para a limpeza. Dependendo do material e do tipo do diafragma, ele pode ser reutilizado muitas vezes.

O Gorro Cervical – Femcap

O capuz cervical (vendido como Femcap) é um copo de látex em forma de dedal, basicamente como um diafragma, mas menor. Também precisa ser usado com um espermicida. O capuz cervical deve permanecer na vagina pelo menos 6 horas após o sexo, mas também deve ser retirado dentro de 48 horas após o sexo.

Como algumas mulheres contraem cistite (infecção da bexiga) pelo uso de um diafragma, o capuz cervical é um substituto útil porque tem menos contato com a vagina (cobre apenas o colo do útero).

O problema com os tipos de contraceptivos como a Femcap ou o diafragma é que sua eficácia – 92 a 95% de proteção no uso ideal – é menor do que outros tipos (98-99%) e oferecem proteção parcial contra DSTs (por exemplo, não Proteção ao HIV).

O Dispositivo Intra-uterino (DIU)

Você tem a escolha entre dois tipos de DIUs: dispositivos hormonais ou baseados em cobre. DIUs hormonais e de cobre fazem parte das poucas soluções de longo prazo, o que significa que você pode mantê-los dentro da vagina por até cinco ou dez anos, respectivamente.

A taxa de eficácia para DIUs é superior a 99%, no entanto, eles não oferecem proteção contra ISTs. Observe que os DIU podem ser uma forma de contracepção de emergência se o dispositivo for inserido dentro de 5 dias após o sexo desprotegido. No entanto, você precisará consultar um médico para inseri-lo corretamente e seguir a prescrição (por exemplo, alguns acompanhamentos e check-ups para possível infecção nas primeiras semanas).

O Implante Contraceptivo

O implante contraceptivo é outra opção entre os tipos de contraceptivos que oferecem proteção a longo prazo. Dura cerca de três anos em média. Assim como o DIU, o implante não protege contra as ISTs.

O implante contraceptivo contém progesterona (progesterona), o mesmo hormônio que a pílula contraceptiva. O hormônio é liberado em seu corpo em um ritmo lento e constante por três anos, produzindo os mesmos efeitos da pílula.

O implante é inserido no braço por um especialista de saúde e deve ser removido após três anos. Como o risco de erro humano é descartado, o implante tem uma taxa de eficácia muito maior do que a pílula – em torno de 99,99%.

A Esponja Contraceptiva

A esponja é uma espuma pequena e redonda (poliuretano) colocada dentro da vagina. Contém espermicida para que o esperma não passe da espuma. Você deve deixar a esponja dentro da vagina por pelo menos seis horas após o sexo, mas remova-a dentro de 24 horas após a relação sexual (para diminuir o risco de choque tóxico).

A esponja não protege após essas 24 horas e não fornece proteção contra STI. Por vezes, é utilizado como suporte para outros métodos contraceptivos (por exemplo, quando se esqueceu de tomar a pílula) e pode comprá-lo sem receita médica na farmácia.

Espermicida

O espermicida é um “ingrediente” recorrente na contracepção, porque se mostra muito eficaz quando usado em combinação com outros métodos (por exemplo, diafragma, esponja). Em si, o espermicida nem sempre oferece a melhor proteção contra a gravidez, embora isso também seja devido ao uso inconsistente do produto.

Você não precisa de receita médica para comprar espermicida e tem pouquíssimos efeitos colaterais associados, mas lembre-se de que não protege contra ISTs.

Injeções Contraceptivas

Este método remonta aos anos 60 com a invenção da progesterona artificial (progesterona). Um tiro de hormônios dura no corpo durante 8 a 12 semanas (3 meses) e tem o mesmo efeito que a pílula.

Os contraceptivos injetáveis são cerca de 99% eficazes, com a gravidez ocorrendo principalmente com mulheres que se esqueceram de renovar sua vacina anticoncepcional a tempo (ou seja, nas últimas semanas, 11 a 12). Obviamente, uma vez que o tiro é dado, ele não pode ser revertido, então você é efetivamente infértil para os próximos três meses.

Assim como a pílula anticoncepcional, as injeções contraceptivas não protegem das ISTs.

O Anel Vaginal

O anel contraceptivo vaginal é um pequeno anel de plástico transparente que é inserido na vagina e mantido por três semanas. Você deve então removê-lo durante seus períodos e substituí-lo por um novo depois disso.

O anel contém os mesmos hormônios que a pílula contraceptiva (progesterona e estrogênio), fornecendo, portanto, o mesmo tipo de proteção efetiva e efeitos colaterais. Você precisará da prescrição do seu médico para comprar o anel.

Assim como outros contraceptivos hormonais, o anel vaginal não protege das ISTs.

O Adesivo Contraceptivo

O adesivo anticoncepcional é exatamente a mesma coisa que a pílula anticoncepcional, mas na forma de um adesivo. Ele fornece a mesma proteção eficaz contra a gravidez e tem os efeitos colaterais (positivos e negativos). Não protege contra DSTs.

Você usa o adesivo por três semanas, tira-o por uma semana – permitindo seu ciclo menstrual – e então começa com um novo adesivo. O patch é uma opção interessante na medida em que você não precisa pensar em tomar a pílula todos os dias.

Existe, no entanto, um risco de irritação da pele e uma (rara) possibilidade de o adesivo sair acidentalmente.

Contracepção de Emergência

Existe contracepção de emergência para impedir que você engravide se tiver relações sexuais desprotegidas.

Este método é para ocasiões únicas e não é recomendado para uso diário. É particularmente útil se o preservativo se rompeu ou se você perdeu uma das suas pílulas anticoncepcionais.

A marca mais comum de pílula do dia seguinte é  Levonelle. Você deve tomar idealmente dentro de 24 horas após o sexo desprotegido (isso oferece mais de 95% de proteção). Quanto mais você esperar, menos eficaz será. Após 72 horas (3 dias), a eficácia cai para menos de 50%.

Você também pode obter Levonelle Genérico, com o mesmo ingrediente ativo que Levonelle, ou EllaOne, que funciona até 120 horas após o sexo desprotegido.

Se você vomitar dentro de três horas após tomar a pílula, você deve tomar outra.

Esterilização

A esterilização é uma opção disponível para homens e mulheres.

No que diz respeito à contracepção masculina, a técnica é chamada de vasectomia e consiste em amarrar e cortar os tubos que transportam o esperma – sem a necessidade de uma intervenção de bisturi ou pontos. O homem pode então ir para casa no mesmo dia.

Isso não oferece proteção contra as ISTs e os efeitos são para toda a vida. Em casos muito raros (menos de 1%), os tubos podem voltar a crescer, tornando a gravidez um risco.

Quanto à esterilização feminina, esta também é uma operação muito simples, após a qual você pode voltar para casa no mesmo dia. Você tem a escolha entre os tipos de esterilização cirúrgica e não cirúrgica.

A esterilização cirúrgica (conhecida como litígio tubário) requer cortes muito pequenos na barriga para acessar as trompas de falópio, cortá-los e amarrá-los para que eles não possam mais ligar os ovários ao útero. Os efeitos são permanentes, portanto você deve ter certeza de sua escolha em relação à esterilização.

A esterilização não cirúrgica consiste na colocação de uma espiral em cada trompa de Falópio – através da vagina e do útero – de modo que as cicatrizes apareçam e, eventualmente, bloqueiem completamente cada tubo. As cicatrizes podem levar até 3 meses para bloquear completamente os tubos, então você precisa usar outro método de contracepção nesse meio tempo.

Ambas as opções também oferecem mais de 99% de proteção contra a gravidez (e nenhuma contra DSTs) por causa de casos raros em que os tubos bloqueados crescem e se reconectam (1 em 200 mulheres).

Planejamento Familiar Natural

Embora não seja um dispositivo ou uma pílula, este ainda é um método de contracepção. O planejamento familiar natural depende do conhecimento do ciclo menstrual(períodos) para que os casais evitem ter relações sexuais quando a mulher é fértil.

Três técnicas (temperatura corporal basal, muco cervical e método ritmo / calendário) podem ser usadas para isso, com maiores taxas de proteção quando os três métodos são usados ​​em combinação. A eficácia deste tipo de contracepção varia entre 75% a 99% (mas 85% em média) com a maior incerteza, devido ao fato de que a maioria das mulheres não tem um ciclo menstrual perfeitamente regular.

E se Eu Não Usar Contracepção?

Na ausência de contracepção, mais de 80% das mulheres engravidarão dentro de um ano.

Escusado será dizer que a abstinência continua a ser a única maneira de desfrutar de 100% de proteção contra a gravidez e DSTs.

O uso de contracepção é generalizado. É usado por qualquer pessoa que queira fazer sexo, mas evite engravidar ou contrair uma infecção sexualmente transmissível.

Eficácia da Contracepção

Não existe um método de contracepção que ofereça 100% de proteção contra gravidez ou ISTs, porque sempre existe um risco (mesmo um em mil) de que um acidente possa acontecer, seja ruptura de preservativo ou erro humano (por exemplo, esquecendo-se tomar a pílula contraceptiva).


Isso torna ainda mais importante analisar as taxas de eficácia de diferentes métodos. No geral, é importante levar em conta que erros humanos podem acontecer (por exemplo, mais com a pílula do que com injeções), como é fácil de usar (por exemplo, preservativos versus diafragma) e quão boa é a eficácia para cada método.

Em média, os métodos contraceptivos hormonais (por exemplo, a pílula) são mais de 95% efetivos ou mais, e o preservativo tem cerca de 99% de eficácia, embora outros métodos de barreira como o diafragma ofereçam uma taxa de proteção entre 80% e 95%.

Quanto mais cuidadoso e consistente você for, maior será a eficácia contraceptiva de cada método. Por exemplo, um uso descuidado de preservativos pode fazer com que a taxa de eficácia caia para quase 85%.

Conheça os Métodos Contraceptivos mais Usados
5 (100%) 2 votos


Comente