Obesidade

As pessoas do interior têm impulsionado o recente aumento global da obesidade, sugere um estudo publicado na quarta-feira.

Isso contradiz o pensamento predominante que liga o excesso de peso à vida urbana.

“Os resultados deste estudo global derrubaram percepções comuns de que pessoas vivendo em grandes cidades é a principal causa do aumento global da obesidade”, disse o principal autor do estudo, Majid Ezzati, da Escola de Saúde Pública do Imperial College de Londres. “Isso significa que precisamos repensar como lidamos com esse problema de saúde global”.

O estudo, publicado no periódico britânico Nature, analisou os dados do índice de massa corporal de mais de 112 milhões de adultos em áreas urbanas e rurais de 200 países e territórios de 1985 a 2017. Índice de massa corporal (IMC) é uma medida da gordura corporal com base na altura e no peso que se aplica a homens e mulheres adultos.

Os pesquisadores determinaram que as médias do IMC estão aumentando para todos; no entanto, eles estavam aumentando mais rapidamente para as pessoas que viviam em áreas rurais.

“As discussões em torno da saúde pública tendem a se concentrar mais nos aspectos negativos da vida nas cidades”, disse Ezzati. “De fato, as cidades oferecem uma grande variedade de oportunidades para uma melhor nutrição, mais exercício físico e recreação, e melhora a saúde geral. Essas coisas são mais difíceis de encontrar em áreas rurais”.

Os autores do estudo disseram que os moradores das zonas rurais tendem a ter menor renda e, portanto, menos acesso a academias. Além disso, alimentos mais saudáveiscostumam ser mais caros: “À medida que os países aumentam a riqueza, o desafio para as populações rurais muda, proporcionando o suficiente para comer, proporcionando alimentos de boa qualidade”, disse Ezzati.

O estudo é a análise mais abrangente até o momento de como a obesidade está mudando em áreas rurais e urbanas, de acordo com Ezzati.

Entre os homens, o estudo descobriu que o IMC aumentou em todos os países da Terra; alguns dos maiores aumentos foram no Peru, na China, na República Dominicana e nos EUA. Para as mulheres, o IMC diminuiu ligeiramente de 1985 para 2017 entre as mulheres em 12 países europeus e Cingapura e Japão. No outro extremo, os maiores aumentos do IMC foram para mulheres no Egito e em Honduras.

Além disso, para os homens rurais, as maiores margens do IMC urbano foram na Suécia, República Tcheca, Irlanda, Austrália, Áustria e EUA. As mulheres rurais dos países da Europa Central e Oriental foram mais pesadas que suas contrapartes urbanas pela maior margem.

Aumento mundial da obesidade é impulsionada por moradores do interior, segundo estudo
5 (100%) 1 voto
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES
Cuide da sua saúde.
Receba nossos novos artigos em seu e-mail e fique sempre informado!

1 COMENTÁRIO

Comente